HISTÓRICO

Desde 1933, o Jornal do Comércio tem como objetivo fazer um jornalismo focado para o setor econômico do Rio Grande do Sul. Atualmente, o jornal está presente no dia-a-dia de empresários, executivos e profissionais liberais, sendo respeitado pelo conteúdo sério e comprometido com as pessoas de decisão. Nesse longo período, desenvolveu cadernos e eventos de credibilidade e respeito no mercado, sempre atento às novas tecnologias, qualificação profissional e o controle de qualidade para oferecer um produto cada vez melhor.

Fundado por Jenor Cardoso Jarros e Zaida Jayme Jarros em 25 de maio de 1933, foi o primeiro jornal segmentado do Brasil. O Consultor do Comércio, que era seu nome original, tinha como público alvo os comerciantes. Prioritariamente divulgava as chegadas e saídas dos navios de Porto Alegre.

Na década de 50, o Jornal mudou sua sede da Rua General Câmara para o Palácio do Comércio, passando por uma grande reestruturação. Foram adquiridos novos equipamentos, a veiculação passou de semanal para tri semanal e a equipe já era de vinte funcionários.

Em 1956, quando o nome passou a ser Jornal do Comércio, os conteúdos ligados ao setor econômico ganharam prioridade. Na década seguinte, já instalado na Av. João Pessoa e com circulação diária, o Jornal do Comércio muda sua diretoria em função do falecimento do seu fundador, o senhor Jenor Cardoso Jarros. Sua esposa, Zaida Jayme Jarros, e seu filho, Delmar Jarros, passaram a dirigir o periódico. Esta gestão vai até 1998, quando Mércio Tumelero assume a administração do Jornal. A partir daí, uma série de mudanças foram realizadas: a família fundadora passou a fazer parte do conselho de administração e a gestão foi profissionalizada.

Com o novo comando, a empresa passa por um grande processo de reestruturação, buscando profissionais com experiência no mercado para gerenciar e dirigir cada departamento. Um novo projeto gráfico foi implantado e novas máquinas impressoras foram adquiridas. Assim, o Jornal passou a ser impresso em cores. Com o falecimento de Zaida Jarros em 2004, Mércio Tumelero assume a presidência da empresa e continua com um forte programa de modernização, visando o aperfeiçoamento dos recursos e do trabalho em todas as áreas da empresa, proporcionando um ambiente totalmente remodelado.

Com 80 anos de atividades ininterruptas, o JC é hoje um dos mais tradicionais e respeitados veículos da imprensa gaúcha.